De um tempo pra cá eu tenho pensado bastante sobre essa questão e me perguntado muitas vezes sobre o quanto do que eu vivo acaba sendo "anunciado" na internet.

Claro que ter um blog contribui pra que eu explane um pouco mais os aspectos por mim vividos, mas com o passar dos tempos eu fui percebendo como esse tipo de informação pode ser genérica/rasa ou até maléfica pra nossa própria vida - dependendo do quê e de onde falamos disso. Pera que eu explico melhor isso.
Deixando muito bem claro que o que eu vou falar aqui é com base em experiências próprias e também em reflexões gerais que fiz, tá? Beleza então.

Tá, assim, eu não preciso ser a pessoa que vai dizer pra vocês que na internet tem muita gente ruim, pq isso cês já sabem, eu imagino. Mas a questão aqui é o fato de as pessoas acompanharem a tua vida por meio das publicações em redes sociais (e no blog também, caso tu tenha um) e irem internalizando essas informações até o dia em que elas resolvem fazer algo com base no que elas leram.

Isso pode incluir muita coisa, desde fazer um juízo errado a teu respeito e acreditarem que sabem tudo da tua vida, até lerem quase que diariamente as tuas postagens nas redes sociais pra saber como tu está e o que tu tá fazendo da vida sem que elas precisem falar com você novamente - mesmo que você esteja passando por um momento péssimo e elas saibam disso. Em ambas as situações é uma grande merda tudo isso.

Foi por conta disso que tomei algumas decisões de janeiro pra cá, como, por exemplo, excluir ou privar postagens do blog e fechar meu twitter do modo público. Eu gostaria de estar muito errada, mas vocês sabem que o fator "estou sendo lida por gente que não deveria estar me lendo" foi um dos principais motivos pra eu desistir temporariamente do blog no ano passado.

Atualmente você só consegue saber de mim publicamente aqui pelo blog mesmo ou vendo meu instagram (e lá a última foto é de 12 dias atrás, então). Meu facebook não é atualizado há quase 1 mês e, mesmo que fosse atualizadíssimo, as publicações estão configuradas pra só os amigos de lá terem acesso. Do twitter cês já sabem a situação atual.

O ano de 2016 foi bastante icônico no que diz respeito ao que eu pensava sobre aquilo que as pessoas escolhem mostrar nas redes sociais. Era muito difícil aceitar totalmente que, se elas não atualizavam suas informações nas redes, é pq a vida delas não havia mudado. Eu levei um belo soco na cara quando a vida me mostrou à força que não era assim que a banda tocava não. E que bom que esse soco figurativo surgiu, meus amigos.

Assim como em Nosedive, episódio número 1 da terceira temporada de meu, isso é muito Black Mirror, a vida real cedo ou  tarde nos revela o verdadeiro eu de quem está por trás daqueles perfis atualizadíssimos e felizes ou sem nenhum post novo e parado. Comigo foi o caso de ser algo tão sutil quanto um soco na cara, de fato, mas ninguém consegue sempre ver/ouvir/ler/saber verdades do mundo e continuar sorrindo, né?

Enfim gente, existe muito mais de nós mesmos por aí graças à internet, e nem sempre o que dissemos num momento é o que pensamos no ano seguinte (maldito "você tem lembranças para recordar hoje" do facebook) - o que é ótimo, pq significa que crescemos e amadurecemos nossos pensamentos muitas vezes - mas é sempre interessante ficar de olho em quem pode estar "absorvendo" esse conhecimento sobre os fragmentos da nossa vida que escolhemos publicar.

Fechar meu twitter foi uma bênção, já que lá eu falo tanto quanto aqui (e desse jeito) e já tava passando da hora de escolher quem leria as minhas ladainhas virtuais.

Se cuidem, nem toda bolha de isolamento é totalmente ruim se vai colaborar com a tua saúde mental nesse meio doido (e doente) que é a internet.

Tchauzinho.

4 Comentários

  1. Como você me representou bem nesse post!!!! Eu raramente falo algo de importancia da minha vida na net, as vezes comento as dificuldades em se ter um blog, ou o sonho de viajar para fora do país. Mas o que se passa no fundo do meu ser, no meu privado, no meu trabalho, na minha casa, amigos e relacionamentos eu nunca falo. Acho que todas coisas tem um certo limite e eu não pretendo fugir dos meus para poder talvez ter mais acessos no meu blog...
    Enfim, amei! ♥
    E ja vou me inscrever pq amei seu cantinho!

    Memórias de uma Guerreira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Flavi, obrigada! Eu fico muito feliz que meu post tenha trazido identificação pra ti, é sempre bacana ler isso! ^^

      E, realmente, explanar aspectos da vida apenas por mais views é algo que nunca dá certo e nem vale à pena! ^^

      Excluir
  2. Sabe que concordo com você. Há mais ou menos uma semana atras, eu fiz um limpa no facebook. É uma rede social que uso bastante em função do meu blog, acabei percebendo que possuía muita gente desnecessária ali na minha rede social. Então exclui e sai do modo público para só, e somente só, "amigos" verem minhas publicações. Eu posto muitas fotos no insta, no entanto não falo tanto dos lugares que vou e com as pessoas que vou, utilizo mais para os ensaios fotográficos do blog e publicações do meu portfólio no tumblr. Meu insta do blog tem apenas postagens referentes ao blog. Eu sei bem o que você quis dizer, às vezes, é preciso fazer uma "peinerada" daquilo que lemos e daquilo que publicamos.

    Até mais!
    Karolini Barbara
    womenrocker.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é guria, essa peneirada foi extremamente essencial nas minhas redes também!

      Excluir

Que tal deixar um comentário bem maneiro aí?